Religiões

Cristianismo

 

O que é o Antigo Testamento

 

Autor: Equipa knoow.net
Data de criação: 24/03/2008

Contributos: Este verbete não recebeu quaisquer contributos. Se é especialista nesta matéria e acha que pode melhorar esta página contacte-nos para o nosso mail: knoow.net@gmail.com.

Resumo: O Antigo Testamento é uma das grandes secções da Bíblia Cristã (a outra secção corresponde ao Novo Testamento) e apresenta a história da revelação de Deus ao povo de Israel...  ver mais

Palavras chave:  Bíblia, Cristã, Antigo Testamento, Novo Testamento

 

 

Antigo Testamento
| A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z |

O que é o Antigo Testamento

O Antigo Testamento é uma das grandes secções da Bíblia Cristã (a outra secção corresponde ao Novo Testamento) e apresenta a história da revelação de Deus ao povo de Israel, narrada, interpretada e explicada por numerosos autores que segundo a tradição judaica e cristã terão sido inspirados directamente por Deus.

A formação do Antigo Testamento foi extremamente e complicada. De facto, a revelação de Deus foi transmitida aos homens ao longo de vários séculos através da tradição oral. A sua passagem à forma escrita apenas começou a ganhar corpo a partir do rei David. Antes de David já existiam alguns documentos escritos tais como o código da aliança, o Decálogo ou o Poema de Débora, mas que, mais do que livros, eram elementos da tradição oral.

A primeira pela literária do Antigo Testamento data do séc. X a.C. e é uma pequena história do rei David. É também deste período que se escreve uma das partes em que se divide o Pentateuco, se inicia literatura sapiencial e se desenvolve o Saltério. Após a morte de Salomão, o reino divide-se em Israel (ou Reino do Norte) e Judá (ou Reino do Sul); a história de ambos é escrita no Livro dos Reis. Em Israel surgem os profetas Elias e Eliseu, defensores do culto a Javé, e mais tarde, no tempo de Jerobão II, os profetas Amós e Oseias e a tradição Eloísta. Em Judá, pouco depois de Amós e Oseias, surgem os profetas Isaías e Miqueias. Em 721 a.C. o Reino do Norte é invadido pela Síria e muitos religiosos fogem para sul e levando consigo as suas tradições e livros sagrados, originando a fusão entre as duas tradições do Pentateuco: a Javista e a Eloísta. Mais tarde, no tempo de Josias (640-609 a.C.), é restaurado o Templo e procede-se à reforma religiosa. É nesta altura que são publicados os livros dos Juízes, Samuel e Reis. Em 587 a.C., Nabucodonosor conquista Jerusalém e leva os seus habitantes para a Babilónia como reféns. É neste período que alguns religiosos, longe do seu Templo, voltam às tradições antigas e dão ao Deuteronómio e ao Pentateuco a sua forma definitiva. É também neste período que os judeus que ficaram na Palestina vinham chorar sobre as ruínas do Templo e assim nascem as lamentações. É já depois do regresso da Babilónia, no séc. V a.C., que se conclui o Livro de Isaías e aparece Rute e os profetas Ageu e Zacarias e que se editam o Livro dos Provérbios e pouco depois o Livro de Job. Já no séc. IV a.C. completa-se o Saltério, nasce o Cântico dos Cânticos, escreve-se o Livro de Jonas e os quatro livros atribuídos ao autor chamado Cronista (os livros 1 e 2 dos Paralipómenos ou Livro das Crónicas, Livro de Esdras e Livro de Neemias). Em 333 a.C. dá-se a conquista da Palestina pelos gregos, liderados por Alexandre Magno, e inicia-se o período helénico, surgindo com ele um novo estilo literário: o midrás bíblico. É neste período que são escritos o Eclesiastes e o Eclesiástico. Em 175 a.C. Antíoco IV obriga à adopção dos costumes e religião dos gregos, o que provoca a revolta dos Macabeus. É neste cenário que Daniel publica o seu livro e mais tarde, por volta do ano 100 a.C. surgem o livro de Ester, os dois livros dos Macabeus e o livro de Judite. Simultaneamente, alguns judeus de Alexandria procuram assimilar o pensamento grego sem sacrificar os seus próprios valores, nascendo assim o livro da Sabedoria, a última obra do Antigo Testamento.

 

Livros que compõem o Antigo Testamento

Os Livros quer do Antigo, quer do Novo Testamento estão divididos em três categorias, de acordo com o género literário que neles predomina: históricos, didácticos e proféticos. No caso do Antigo Testamento, os livros que pertencem a cada uma das três categorias são os seguintes:

Livros Históricos:

- Pentateuco (ou colecção dos cinco livros de Moisés), que inclui o Génesis (conta a origem do mundo e do homem e a história dos primeiros patriarcas), o Êxodo (conta a história da saída dos hebreus do Egipto), o Levítico (que procura organizar o culto entre os hebreus), os Números (que conta a história dos hebreus desde a passagem pelo Sinai até à entrada na Transjordânia), e o Deuteronómio (uma repetição da Lei que exorta à fidelidade a Deus).

- Josué, que narra a entrada na Terra Prometida, e inclui a história da sua conquista e a sua posterior distribuição do território pelas 12 tribos.

- Juízes, que conta a história do povo hebreu desde a morte de Josué até Samuel, e apresenta-se claramente com uma finalidade mais religiosa do que histórica procurando sempre mostrar a justiça incorruptível de Deus.

- Rute, uma espécie de apêndice do livros dos Juízes e que conta uma pequena história de uma moabita que entra no povo hebreu e se torna bisavó de David.

- Reis, conjunto de quatro livros também designados por livro 1 e 2 de Samuel e livro 1 e 2 dos Reis, que contam a história do governo de Israel pelos reis da casa de David.

- Paralipómenos (ou Crónicas), dois livros que completam os livros dos Reis e contam a história de Israel centrada em torno do Templo.

- Esdras e Neemias, dois livros que narram os acontecimentos que levaram à restauração de Israel após o cativeiro na Babilónia.

- Tobias, que conta uma bela história de uma família israelita que procura mostrar os frutos da caridade e da esperança em Deus.

- Judite, que narra a história de Judite, a libertadora de Betúlia, cidade sitiada pelos assírios, e que procura mostrar o valor da penitência e da oração.

- Ester, que narra a forma como Ester, assistida por Deus, salva os judeus de um grande massacre ordenado por Hanan, o favorito do rei Assuero.

- Macabeus, que conta a história da revolta dos Macabeus contra as ordens de Antíoco IV que pretendiam importor os costumes e religião grega.

Livros Didácticos

- Job, livro escrito em forma de poema, que conta a história de Job, um homem paciente e justo que, segundo se crê, terá vivido no tempo dos patriarcas embora não fosse da linhagem de Abraão.

- Salmos, livro que consiste numa colecção de hinos sagrados e que terão sido escritos, pelo menos em grande parte, por David.

- Provérbios, Eclisiastes e Cântico dos Cânticos, três livros atribuídos a Salomão, embora não lhe pertença a forma actual.

- Sabedoria, também atribuído a Salomão mas que na verdade terá sido escrito por um judeu de Alexandria que convida para a sabedoria e para a defesa da religião judaica.

- Eclesiástico, livro escrito por Jesus, filho de Sirac, e que nele faz um resumo das suas leituras e da suas experiências de vida.

Livros Proféticos

- Isaias, Jeremias, Baruc, Ezequiel e Daniel, chamados “profetas maiores” pela grande extensão das suas obras.

- Oseias, Joel, Amós, Abdias, Jonas, Miqueias, Naum, Habacuc, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias, chamados “profetas menores” pela menor dimensão das suas obras.