Ciências Económicas e Empresariais

Gestão

 

Biografia de G. M. Stalker

 

Autor: Paulo Nunes

Data de criação: 19/06/2008

Contributos: Este verbete não recebeu quaisquer contributos. Se é especialista nesta matéria e acha que pode melhorar esta página contacte-nos para o nosso mail: knoow.net@gmail.com.

Resumo: xxxxxxxxxxxxxxxxx...  ver mais

Palavras chave:  xxxxxxxxxxxxxxxxxxx

 

Stalker, G. M.
| A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z |

Biografia de G. M. Stalker

Stalker ficou conhecido pelas suas pesquisas sobre organizações mecanicistas e orgânicas, realizadas em conjunto com Tom Burns, cujos resultados constituem uma das bases da teoria da contingência. Nestas pesquisas, os dois investigadores procuraram analisar a correlação entre as práticas de gestão e o ambiente externo dessas organizações, tendo classificado as organizações em dois tipos: as organizações mecanicistas e as organizações orgânicas.

Na sequência destas investigações foi publicado em 1961 a obra The Management of Innovation, um dos grandes clássicos da teoria das organizações, e que procura resposta para a forma como se relacionam as organizações e seu ambiente externo. Ainda hoje, esta continua a ser uma questão fundamental para a compreensão da dinâmica organizacional e um tema obrigatório em qualquer programa de gestão, nomeadamente para a compreensão das diferenças entre as estruturas orgânicas, mais fluidas e facilitadoras da inovação, e mecanicistas, mais reguladas e avessas à inovação.

 

Apresentação dos estudos de Tom Burns e G. M. Stalker

A partir dos estudos realizados, Tom Burns e G. M. Stalker verificaram que os procedimentos utilizados em cada empresa diferiam de forma acentuada, mas podiam ser enquadrados em dois tipos:

- as organizações mecanicistas (ou sistemas mecânicos);

- as organizações orgânicas (ou sistemas orgânicos).

As principais características dos dois tipos de organizações identificadas por Tom Burns e G. M. Stalker são:

Características

Sistemas Mecânicos

Sistemas Orgânicos

Estrutura Organizacional

Burocrática, permanente, rígida e definitiva

Flexível, mutável, adaptativa e transitória

Autoridade

Baseada na hierarquia e no comando

Baseada no conhecimento e na consulta

Decisões

Centralizadas na cúpula da organização

Descentralizadas e tomadas ad hoc (aqui e agora)

Comunicações

Quase sempre verticais descendentes e formais

Quase sempre horizontais, verbais e informais

Ênfase

Regras e regulamentos formalizados por escrito

Pessoas e comunicações informais entre elas

Princípios predominantes

Escola Clássica (sistema mecanicista e fechado)

Escola Comportamental (pessoas, equipas,...)

Tipo de Ambiente

Estável, previsível e permanente

Instável, imprevisível e dinâmico

A principal conclusão a que chegaram Tom Burns e G. M. Stalker foi a de que a organização mecanicista é mais adequada em condições ambientais relativamente estáveis, enquanto que a organização orgânica é mais adequada para condições ambientais de mudança e inovação.