Estou aqui: Gestão

Cienciais Económicas e Empresariais

Gestão / Administração

Economias de Escala

Autor: Paulo Nunes

Data de criação: 31/07/2008; Última actualização: 07/08/2012

Contributos: Este verbete não recebeu quaisquer contributos. Se é especialista nesta matéria e acha que pode melhorar esta página contacte-nos para o nosso mail: knoow.net@gmail.com.

Resumo: Apresentação do conceito de economia de escala e justificação para a sua ocorrência...  ver artigo completo

Palavras chave:  gestão, administração

Com o apoio da PCNunes - Consultores de Gestão, Lda

 

Economias de Escala

| 0-9 | A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z |



Conceito de Economias de Escala

As economias de escala representam ganhos, em termos de custos de produção, que as organizações obtêm com o aumento da sua dimensão e da quantidade produzida. Estes ganhos ocorrem devido à existência de custos fixos na produção. Aumentando o nível de produção, esses custos fixos diluem-se por um número maior de unidades produzidas fazendo assim baixar o custo médio de produção.

A existência de economias de escala é a razão que justifica a grande dimensão das empresas pertencentes aos sectores de actividade com elevados custos fixos. Por exemplo, uma refinaria de petróleo necessita de equipamentos de grande dimensão e complexidade tornando os custos fixos muito elevados obrigados as empresas a produzir elevadas quantidades de forma a diluírem esses custos fixos por um número elevado de unidades, baixando assim o custo médio de produção.

Obviamente que os ganhos com economias de escala têm limites: por um lado porque estes são cada vez menores à medida que se aumenta a produção tornando-se insignificantes a partir de determinada altura; por outro lado porque a partir de certa altura são ultrapassados pelos custos de complexidade associados ao aumento de dimensão.

 

Não encontrou o que pretendia? procure aqui: